Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Julho 2008

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031

subscrever feeds


Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D


Point-Of-View Shot - Requiem for a Dream (2000)

por Catarina d´Oliveira, em 21.07.08

 

"Purple in the morning, blue in the afternoon, orange in the evening... and green at night. Just like that. One, two, three, four."

 

Sara Goldfarb tem um sonho: aparecer na televisão. Não deseja dinheiro, apenas aparecer na televisão. Aparecer e falar sobre o seu marido, o seu filho, os seus sonhos.
Harry Goldfarb (filho de Sara), Marion Silver (namorada de Harry)e Tyrone (amigo de Harry) têm um sonho: uma vida melhor.
 
O que se poderiam entender como máximas para uma história de força e vontade, metamorfizam-se na absoluta podridão e decadência de um mundo de dependências mortais e doentias. Cada uma destas quatro pessoas tem uma ambição, mas cada uma delas cede, de uma ou outra forma, ao prazer e à escravidão.
 
 
É incrível a evolução da personagem Sara ao longo do filme. Ellen Burstyn - com uma performance singular que ficava a merecer um Óscar mas que se ficou pela nomeação - retrata uma figura perdida, completamente entorpecida pelo desejo de aparecer na televisão, caindo nas teias do insano, lenta e dolorosamente.
 
Com um final visceral e perturbante, põe de lado o final feliz hollywodesco, e também os comuns "clichés" a que estamos tão habituados.
 
O estilo de Requiem for a Dream é predominantemente diferente daquilo a que estamos habituados: utiliza-se split screen, em vez de um plano que albergue as duas personagens ao mesmo tempo ou uma personagem de cada vez, utilização de Snorricam (câmera é presa ao corpo do actor encarando-o de frente ou costas, sendo que, quando se movimenta, parece que ele próprio não se move mas sim tudo à sua volta), utilização de time-lapse (um objecto é fotografado em diferentes momentos, diferentes frames) e fast cutting (utilização de vários shots por períodos de tempo muito curtos, de modo a fazer passar muita e variada informação, dando uma impressão de velocidade e caos).

 

 

Além de utilizar a ideia de consumo de estupefacientes de forma literal, ou seja, focando-se nos seus problemas e implicações, Requiem for a Dream serve-se dele também como metáfora para algo que a toda a hora nos aterra: um desejo inocente e inofensivo; um desejo cínico que sussurra “está tudo bem!” enquanto nos enterra, cada vez mais fundo, uma faca nas costas; um desejo incontrolável que acabará, eventualmente, por matar os nossos sonhos.

 

Sendo essencialmente abordado como “um filme sobre a dependência das drogas”, prefiro pensar em Requiem for a Dream como um filme com um propósito muito mais profundo: mostrar a desgraça de um sonho desfeito, de um sonho desfeito por si mesmo.

 

“O sonho comanda a vida.”

Será? Ou será esse o verdadeiro caminho da perdição?

 

8.5/10

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.




Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Julho 2008

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031

subscrever feeds


Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D