Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Fevereiro 2009

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728

subscrever feeds


Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D


Point-Of-View-Shot - Slumdog Millionaire (2008)

por Catarina d´Oliveira, em 06.02.09

 

"When somebody asks me a question, I tell them the answer"

 

Danny Boyle é um dos poucos realizadores que se pode dar ao luxo de dizer que não tem dois filmes iguais. De facto, o mais correcto é dizer que são todos radicalmente diferentes; veja-se o vertiginoso e visceral Trainspotting (1996), o apaixonante The Beach, o horrorizante 28 Days Later (2002) ou o inocente Millions (2004). Como não poderia deixar de ser, Slumdog Millionaire, o seu mais recente filme, é mais um belo e completo naipe a adicionar a um baralho único.


O épico social passa-se na “Nova Índia” e arranca na edição Indiana do famoso concurso televisivo “Quem Quer Ser Milionário?” que tem um concorrente curioso: Jamal Malik é um órfão de 18 anos de um bairro pobre de Bombaim, sem estudos e que, com toda a nação com os olhos postos em si, está a apenas uma questão de ganhar 20 milhões de rupias (aproximadamente 320.000 €). Acusado de fazer batota, antes da derradeira questão ser colocada, Jamal é levado e torturado pela polícia Indiana que o obriga a contar admitir como conseguiu responder correctamente a todas as perguntas. É neste momento que começa uma viagem alucinante, triste mas incrivelmente colorida, de um rapaz que construiu a sua própria educação com os tijolos da pobreza e do abandono, o cimento da exploração e do crime, mas acima de tudo, com a vontade do amor.

 

 

A Índia do mundo moderno terá sido claramente o marco de inspiração para Danny Boyle. Visualmente, Slumdog Millionaire é arrebatador e poderoso; tanto no contraste de cores pálidas e discretas com a extravagância e vivacidade dos amarelos e laranjas, como na paradoxal navegação por luxuosos apartamentos e condomínios que têm como pano de fundo uma cidade minada pela população pobre, que sobrevive em vez de viver em condições precárias e sujas.


Slumdog Millionaire é uma mistura estranha e arriscada que acaba por resultar num dos grandes filmes de 2008; numa mescla de “Cidade de Deus” e “Oliver Twist”, marcada pelos cortes rápidos e repentinos e música electrizante. A dinâmica e ritmo de Boyle é inegável com uma cena de abertura que tem tanto de simples como de original, uma questão de escolha múltipla:


Jamal Malik está a uma questão de ganhar 20 milhões de rupias. Como é que o fez?
a) Fez batota
b)É sortudo
c)É um génio
d)É o destino


O elenco tem, no geral, uma prestação bem positiva para tantas caras desconhecidas ao espectador; no entanto é sustentado por três personagens, impecavelmente interpretados por três belos actores. Dev Patel, o nosso herói Jamal, é um carismático protagonista que apesar de não conduzir o seu personagem ao longo de todo o filme (dois actores mais novos também o fazem em períodos diferentes da vida de Jamal), é sem dúvida a sua grande alma. De cada vez que está no plano, a cena é sua, mostrando-se como uma potencial nova estrela do cinema futuro.


Depois temos Madhur Mittal que vive Salim, o irmão mais velho de Jamal, e lhe dá um delicioso toque de ambiguidade e opacidade nos motivos que o guiam e Anil Kapoor, interpretando o apresentador Prem Kumar, um homem provocador e desconfiado.
 

 

Todavia, e não destoando o facto de ser um grande filme, houve qualquer coisa em Slumdog Millionaire que não me encantou da mesma forma que a tantas outras pessoas por esse mundo fora.

 

Passados alguns dias do visionamento, e depois de ter pensado sobre a questão, penso que o meu maior problema se prende com a estruturação do filme. Parece contraditório depois de ter referido as qualidades do trabalho de Boyle. No entanto, estas são para mim inegáveis se consideradas pontualmente; em termos de conjunto final, parece-me ter faltado alguma melhor organização e elaboração. Os flashbacks que explicam as diversas respostas (apesar de alguns serem um pouco irrealistas) são genericamente interessantes, mas à 3ª ou 4ª memória a coisa parece começar a tornar-se um pouco repetitiva, o que vem a retirar alguma velocidade e ritmo à acção.


Pode não considerar-se criticamente importante, mas também me fez alguma confusão que as questões que surgiram ao longo do jogo tenham nas suas respostas o desenvolvimento exactamente cronológico da vida de Jamal, acompanhando-o continuamente, da infância até à idade pré-adulta. Não existe maior cliché do que falar de clichés em filmes, mas de facto, Slumdog também tem a sua dose (e boa dose). Devo admitir também que no final me encontrava completamente extenuada: a música por vezes demasiado alta e as filmagens rápidas e bruscas quase me levaram a melhor…

 

 

Apesar de tudo, pelo que representa, pela sentida e verdadeiramente bonita mensagem que transmite e pela grande intenção de quem o produziu, Slumdog Millionaire é para mim, como para todos, um dos grandes filmes do ano. Não o vendo como a obra-prima que muitos consideram, vejo-o como um filme como poucos, que apesar de falhas técnicas apresenta uma das mais arrebatadoras histórias dos últimos anos.


Os últimos minutos são mesmo excepcionais, e têm o dom de quase transformar a hora e meia que ficou para trás. Slumdog Millionaire não deixa nunca de ser uma celebração; da experiência humana, do amor, das dificuldades que nos fazem crescer. Uma celebração e um nobre hino à vida.
 

8.5/10

Autoria e outros dados (tags, etc)


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.




Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Fevereiro 2009

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728

subscrever feeds


Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D