Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Abril 2011

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

subscrever feeds


Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D


Master Shot - Filmes com origens... parvas? (2/2)

por Catarina d´Oliveira, em 17.04.11

 

(*) NOTA - Por vezes os jogos surgirão com o seu nome em inglês. Isto dever-se-á ao facto de eu não ter a certeza de existir a versão do jogo em português ou de não saber o seu nome na nossa língua.

 

Para visitar a primeira parte deste post, cliquem aqui.

 

 

 Monopólio

 

Sobre o jogo: O Monopólio é um dos jogos de sociedade mais famosos do mundo. Propriedades como casas, hotéis, bairros e empresas são compradas e vendidas, e jogadores ficam ricos ou vão à falência.

 

Porquê a adaptação: É um dos jogos de tabuleiro mais conhecidos do mundo… why not?

 

Sobre a adaptação: Ridley Scott admitiu que os primeiros tempos foram complicados, já que pensou que tinha de mostrar o jogo e pessoas a correr de um lado para o outro num tabuleiro. Mas rapidamente a Hasbro confirmou que queria apenas um filme, e não uma cópia cinematográfica do jogo. O realizador afirmou que o filme terá um tom contemporâneo e que “tem de ser uma espécie de comédia. Se pairarmos sobre o Central Park de noite num helicóptero, a cidade parece um tabuleiro de Monopólio.”. Um executivo da Hasbro veio enfatizar que o Monopólio será uma “história humana e pessoal; uma história ficcionalizada de uma família com muita intriga”.

Quanto ao enredo, Scott admitiu a certa altura focar-se numa personagem com traços de Donald Trump que batalharia com outros titãs da imobiliária pelos melhores negócios. “É sobre ganância. A ganância tornar-se-á, espero eu, muito divertida” acrescentou o realizador.

 

Última vez que ouvimos falar dele: Março de 2011

 

Ouija

 
Sobre o jogo: O Ouija é um jogo de tabuleiro de madeira com letras, números e outros símbolos e palavras utilizado celebremente para (supostamente) comunicar com espíritos. Uma outra variante é conhecida como jogo do copo, onde exactamente um copo indica as respostas às perguntas colocadas.

 

Porquê a adaptação: Além de ser muito apelativo para os jovens (quantas noitadas não terão sido terminadas com o ouija/jogo do copo?), ainda temos o factor “espíritos”. Espíritos dão sempre bons sustos, ainda que nem sempre bons filmes de sustos.

 

Sobre a adaptação: Sobre o enredo sabe-se pouco, mas uma fórmula possível seria: grupo de jovens – jogatana – alguém goza com o jogo – pessoal começa a morrer que nem tordos… familiar? Bem mas deixando as suposições de lado, a produtora de Michael Bay é que pegou neste achado baseado no brinquedo da Parker Brothers. E já que o tabuleiro foi usado algumas vezes nas terras do terror (mais notavelmente em The Exorcist) é apenas natural que os produtores quisessem dar um spin diferente à coisa. Todavia não se sabe bem o que é: já foi descrito como um “filme de família de aventura” (ok, estou um pouco confusa, mas quem sabe não será uma versão mais dark de Jumanji?) mas também já o tomaram como um “thriller sobrenatural”. Seja como for, já vem com problemas antes da nascença: o argumento vai ser trabalhado pelos “artistas” que escreveram Tron: Legacy e a realização está ao cargo de McG.

 

Última vez que ouvimos falar dele: Janeiro/Fevereiro de 2011


 

Asteroids

 
Sobre o jogo: Asteroids é um videojogo árcade lançado em 1979 pela Atari Inc. Foi um dos mais populares e influentes jogos da idade dourada dos jogos arcade. O objectivo do jogo era destruir asteróides sem se deixar atingir pelos seus fragmentos.

 

Porquê a adaptação: Não há relíquia do passado que não possa ser reciclada e adaptada ao grande ecrã, especialmente segundo a moda que parece ter surgido dos jogos que se tornam filmes. E porquê negar o “brilhante” caminho a um dos jogos árcade mais famosos de sempre? Não vamos ser desmancha-prazeres!

 

Sobre a adaptação: It keeps getting better and better. Vêem o potencial cinematográfico a sair por todos os poros?? Pois, é porque não tem mesmo. A minha questão é a seguinte: quando um jogo tem como único objectivo controlar uma nave que rebenta com pedras, porquê comprar os direitos da propriedade? Não podiam fazer um filme com naves e pedras espaciais… sem ter de comprar os direitos do jogo? O pior de tudo é que, antes da “grande vitória” da Universal, quatro estúdios andaram à batatada por isto. Quanto ao enredo, pouco se sabe, mas o produtor Lorenzo di Bonaventura disse a certa altura que se focaria em dois irmãos que terão de passar por uma experiência juntos para resolver a sua relação tendo como pano de fundo um monte de pedras perdidas no espaço. Uh, excitante!

 

Última vez que ouvimos falar dele: Meados de 2010.

 

 

Candy Land


Sobre o jogo: Não sei se este jogo existe em Portugal, mas na versão original é um jogo simples de “corrida” de tabuleiro direccionado especialmente a crianças, uma vez que não requer leitura ou cálculos.

 

Porquê a adaptação: Não faço a mais pequena ideia.

 

Sobre a adaptação: A Universal já garantiu o argumentista Etan Cohen e Kevin Lima para realizar o live action baseado no jogo de tabuleiro. Lima dirigiu alguns sucessos como Enchanted, Tarzan e 102 Dalmatians e Cohen escreveu filmes como Tropic Thunder e Sherlock Holmes. Esta não parece ser uma fonte de inspiração óbvia, mas o estúdio pode sempre apontar para o mercado familiar/infantil… ou pelo menos assim o espero. Não vejo e não quero nem sequer pensar numa adaptação de Candy Land que não tenha um desses propósitos. Meu deus, que medo! Sobre o enredo nada se sabe ainda, mas num jogo onde os jogadores tentam chegar rapidamente ao final para encontrar o Castelo dos Doces e o Rei dos Doces…. Isto precisava mesmo de ser feito? Mesmo?

 

Última vez que ouvimos falar dele: Meados de 2009.

 

 

Risco

 

Sobre o jogo: Jogo de tabuleiro de estratégia que foi produzido pela Parker Brothers e actualmente pertence à Hasbro. Foi inventado pelo realizador de cinema francês Albert Lamorisse e foi inicialmente lançado em 1957, como La Conquête du Monde ("A Conquista do Mundo"), em França. Uma partida de Risco tem entre 2 ou 6 jogadores, decorrendo num tabuleiro representando um mapa político do mundo, dividido em 42 territórios agrupados em 6 continentes. Os jogadores capturam territórios uns aos aos outros jogando dados e obtendo uma pontuação mais elevada. O jogo termina quando um jogador conquista todos os territórios.

 
Porquê a adaptação: Ao contrário de todos os outros, este até pode fazer sentido: estratégia e pensamento são palavras de ordem, e um cenário de guerra é sempre passível de ser bem transposto para o grande ecrã. Além disto, o jogo é obviamente um sucesso.
 
Sobre a adaptação: A Sony terá de olhar para TMNTTransformers ou Pirates of the Caribbean como boas oportunidades para filmes baseados em brinquedos/jogos/diversões terem sucesso especialmente entre o mercado mais jovem. Por outro lado, temos de pensar que este terá de ser inevitavelmente um épico bélico, e nós não temos disso aos molhos todos os anos? A boa saída seria talvez pegar em países reais e criar alianças que não existem e por-nos todos à batatada. Isso talvez ficasse porreiro (se bem desenvolvido, claro), ainda que seja difícil imaginar algo que não tenhamos já visto. Vamos apenas fazer figas para, a surgir, o filme de Riscos ser mais Pirata do que Transformer.

 
Última vez que ouvimos falar dele: Novembro de 2009

 

*** *** ***

 

E porque isto é uma moda de que a Universal tem QUASE monopólio, deixamos aqui algumas outras sugestões para outros estúdios que queiram retaliar!

 

Trivial Pursuit – Se o monopólio pode ser sobre economia, porque é que o Trivial Pursuit não pode ser uma comédia romântica sobre um expert em trivia muito competitivo que se apaixona por uma rapariga, mas que se arrisca a perdê-la quando dá mais importância è Ciência e Natureza do que à sua relação?


Operation – Neste tenso drama medico, um estudante de medicina está de férias pela Europa quando é raptado e forçado a operar um líder revolucionário seriamente ferido. Numa corrida contra o tempo e contra os nervos, o jovem terá de retirar balas e estilhaços do corpo sem cometer qualquer erro… ou então morrerá!

 

Hungry, Hungry Hippos – À procura de um tesouro perdido na África, um grupo de caçadores tem de enfrentar os carnívoros e super-inteligentes hipopótamos que habitam a zona e que têm fome… muita fome!

 

Quatro em Linha – Não sei porquê, mas imagino este jogo trazido à vida por Christopher Nolan. Podia ser um jogo psicológico onde dois homens guerreiam em busca da “iluminação”. Eu sei, é genérico, mas lembrem-se que de Inception sabíamos apenas que se passava na arquitectura da mente. Depois só precisamos de contar a história de forma não linear, contratar talvez o Christian Bale e Guy Pearce para protagonistas, e introduzir uns twists. Richie afinal é um clone e Bale já jogou ao jogo um dia, mas recalcou e as memórias teimam em não aparecer. Com Nolan nunca se sabe!

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.




Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Abril 2011

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

subscrever feeds


Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D