Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Mais sobre mim

foto do autor



Calendário

Janeiro 2009

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

free hit counters


Action Props Jogos
Awards Season Época de Prémios
Deep Focus Artigos
Flashback Regresso ao Passado
Flashforward Notícias e Projectos
Freeze Frame Shot Imagens
Master Shot Listas e Tops
Mise en Scène Trailers e Posters
New Shots Estreias
Outtake Fora da Sétima Arte
Point-of-View Shot Críticas
Pull Back Shot Um olhar sobre o passado das Estrelas
Smash Cut Citações
Snorricam Extras
Widescreen Cenas Icónicas

. Blog Oficial


Membro do Círculo de Críticos Online Portugueses

. Blog Oficial




Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D


Point-Of-View-Shot - Religulous (2008)

por Catarina d´Oliveira, em 17.01.09

 

"Religion is dangerous because it allows human beings who don't have all the answers to think that they do."

 

Num mundo cada vez mais dominado pela Ciência e pela prossecução da justificação dos fenómenos, a Religião representa ainda um papel muito significativo nas sociedades contemporâneas. De facto, estima-se que cerca de 85% da população mundial seja, de alguma forma, religiosa.

 

Bill Maher é um comediante americano que se propõe a uma jornada de descoberta pela América e alguns dos locais mais religiosos do mundo (Vaticano, Jerusalem…). Para quê? Para questionar as pessoas acerca de fé, crenças, religião e igreja. O seu documentário, realizado por Larry Charles (que também dirigiu Borat) tem o provocante título de Religulous, que tem origem numa perigosa soma de palavras: Religion+Ridiculous.

 

É tão certo como eu me chamar Catarina que Religulous está destinado a fazer a mostarda subir ao nariz de muito boa gente. A mim não, mas apresentou-se com um dos temas que, quando em cima da mesa, discuto com mais entusiasmo: Religião/Igreja/Fé.

 

 

Respeito a Religião, mas tenho muitas dificuldades em não tocar na ferida quando se fala de Igreja. Para mim são coisas absolutamente distintas: a Religião merece toda a consideração pelo conjunto de crenças predominantemente positivas que têm como simples objectivo apoiar e amparar o Homem por essa longa e complicada jornada que é a vida. Por outro lado, e sem me querer alongar em considerações polémicas, vejo a Igreja como uma instituição que nem sempre respeita ou se propõe a seguir o que a Religião de facto representa, caindo por vezes em teias de hipocrisia.

 

Assumo-me, hoje, agnóstica. Até há pouco tempo envergava a camisola do Ateísmo mas não pude mais recentemente deixar de considerar o quão desonesta e deficitária posição essa é: afinal, a certeza absoluta é algo que não me parece que nos esteja destinado, e que arrogância seria dizer “Não. É impossível. Não existe”.Poderá ser o agnosticismo a posição mais fácil? Quanto a isso não sei responder, só sei dizer que, no meu caso pessoal, hoje apresenta-se como a mais honesta. E até tenho como projecto futuro, logo que o tempo me permita, ler a Bíblia, pois acredito ser algo essencial independente de crenças ou descrenças e porque de facto tenho curiosidade em conhecer o que escondem as suas páginas.

 

E cá está! Viram? Viram como me entusiasmei e logo escrevi 3 parágrafos que em nada têm a ver com a crítica ao filme? Ehe! Voltando à questão que realmente aqui interessa…

 

Religulous é, para quem estiver preparado, inquestionavelmente divertido; muito divertido.
Maher teve ele mesmo uma infância e adolescência em contacto com diferentes religiões, o que prova que a sua abordagem não é exclusivamente derivada de alguma implicância, imaturidade ou falta de conhecimento. Aliás, ele tem até o cuidado de dedicar a grande fatia do documentário às religiões com as quais contactou pessoalmente.

 

 

A mais legítima crítica que podemos fazer a Religulous respeita aos entrevistados escolhidos, estando entre muitos deles autênticos charlatães e fanáticos sem grandes bases aceitáveis, não travando assim uma batalha que se possa chamar de justa… 90% deles são mesmo hilariantes; Maher, numa engenhosa cadeia de perguntas difíceis acompanhada de sugestivos comentários que passam por vezes em rodapé, deixa muitos deles desarmados ou sem resposta. Mas não acreditem que o contrário não acontece, e aí é ainda mais engraçado. O próprio Maher que parece preparado para os maiores fanáticos ou charlatães fica completamente boquiaberto com algumas das pérolas. Mas mesmo esta crítica é justificável: Maher não crucifica a religião mas antes aqueles “ridículos” que dizem agir em seu nome e de Deus.

 

Algo que me deixou genuinamente contente foi ver um padre realmente moderno que Maher até designou de “maverick” (significando rebelde) que, apesar de se ter de conformar com muitos dos pressupostos da Igreja (leia-se Igreja e não Religião ou Fé), os renega energicamente.

 

No final, Maher deixa cair a face de comediante e reveste-se de seriedade falando sobre o poder de destruição da Religião e de uma certeza infundada e admitindo-se como “seguidor” da Dúvida. Não deixando de apontar questões com alguns fundos de verdade, talvez o tom tenha sido demasiado melodramático e alarmista para uma peça que até então tinha sido tão jocosa e agradável de ver; talvez o humor tivesse funcionado integralmente.

 

 

Ao contrário da grande maioria, não vejo Religulous como uma visão ateísta da Religião, mas sim agnóstica. Aos meus olhos, a fé propriamente dita, ou o conceito real de Religião (como eu o vejo) por si não foram postos na linha de fogo mais avançada. O que Bill Maher fez, intencionalmente ou não, foi apenas expor o ridículo das concepções fanáticas que se dizem Religiosas e de todos os fenómenos ou actos que se proclamam “em nome de Deus” mas que vão contra tudo o que seriam supostamente as suas linhas-guia. Maher não pretende, em última instância, deitar a religião abaixo, mas compreender o que a move e o que a justifica.

 

E foi por isso mesmo que me identifiquei com o que vi… Por que a última questão que vale a pena deixar no ar é se poderemos nós ser tão arrogantes ao ponto de deliberar definitivamente se algo é verdade ou não? Eu penso que não.

E um conselho…abram os horizontes e deixem-se levar.
 

7.5/10

 

*** *** *** ***

Para terminar e, mais uma vez confirmando o que vos disse anteriormente (- quando falo de algo que me interessa nunca mais me calo), deixo-vos alguns factos, curiosidades e esclarecimentos acerca da Religião.

 

Países menos Religiosos
1. Suécia (cerca de 85% são descrentes, ateus, agnósticos)
2. Vietname
3. Dinamarca
4. Noruega
5. Japão
6. República Checa
7. Finlândia
8. França
9. Coreia do Sul
10. Estónia (cerca de 49% são descrentes, ateus, agnósticos)
 
A Nigéria, o Brasil, a Índia e Marrocos são dos países mais religiosos do mundo, sendo que mais de 95% (!) da população se descreve como sendo de alguma forma religiosa. Os Estados Unidos seguem de perto com 89% e a Itália e a Polónia com 87%.
Três Grandes Blocos Religiosos no Mundo:
Cristianismo - 2.1 Biliões de seguidores, 33% Total da População
Islamismo – 1.5 Biliões de seguidores, 21%
Hinduísmo – 900 Milhões de seguidores, 14%
 
(Não Religiosos – 1.1 Biliões de pessoas, 16%)
 
De entre variações nos termos particulares, têm-se geralmente que:
O Agnóstico defende postura de que é impossível à mente humana deter a verdade absoluta; não se considera crente nem descrente até obtenção de provas.
O Ateu nega e não acredita na existência de Deus ou deuses; não tem fé religiosa
O Deísta crê em Deus, mas não aceita religião, certos dogmas e a revelação.

Autoria e outros dados (tags, etc)


2 comentários

Sem imagem de perfil

De Alexandre a 15.03.2011 às 17:23

Concordo com a análise deste excelente filme/documentário, e acho que faz muita falta este tipo de intervenções para que haja mais noção do ridículo em que algumas pessoas vivem, porque é bem pior a pobreza intelectual/cultural do que a pobreza económica.

Aproveito também para, na minha humilde opinião, congratular este teu espaço.
Normalmente não tenho muita paciência para ler/escrever sobre filmes, pois prefiro ocupar o tempo a efectivamente ver filmes.
Contudo, confesso que fiquei cativado pela tua escrita que combina com grande fluidez e perfeição o pensamento analítico e objectivo, com perspectivas reflexivas e até mesmo poéticas.

Se me permites a sugestão, acho que podias criar um espaço para os leitores sugerirem filmes (correndo o risco de teres uma enchente :P).
De qualquer maneira deixo-te aqui 3 sugestões de filmes que achei bastante marcantes, para quando tiveres oportunidade:
- Irréversible
- The Fountain
- Mr. Nobody

Cumprimentos e continuação de boas críticas !!
Imagem de perfil

De Catarina d´Oliveira a 15.03.2011 às 19:27

Alexandre,

obrigadissima por todos os elogios. para mim as coisas nao saem esforçadas, saem de uma grande paixão e vontade de aprender mais, e talvez essa seja a minha grande força motriz.

quanto às sugestões, o the fountain e o irreversible ja tenho aqui em lista de espera para ver - esta semana tem sido atarefada e como poderás até ter reparado, nem pude deixar grande coisa aqui no blog, mas espero que entre hoje e amanha isto acalme e eu consiga pôr qualquer coisa por aqui :P se me aguentar nas canetas, hoje vejo o irreversible.

vou ter em conta essa sugestão, visto que muitas vezes ando aqui na duvida sobre o que ver ou sobre o que escrever e sem duvida que voces me poderao ajudar muuuito.

Novamente, obrigada por todas as palavras de apoio. espero que continues a gostar.

Comentar post




Mais sobre mim

foto do autor



Calendário

Janeiro 2009

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

free hit counters


Action Props Jogos
Awards Season Época de Prémios
Deep Focus Artigos
Flashback Regresso ao Passado
Flashforward Notícias e Projectos
Freeze Frame Shot Imagens
Master Shot Listas e Tops
Mise en Scène Trailers e Posters
New Shots Estreias
Outtake Fora da Sétima Arte
Point-of-View Shot Críticas
Pull Back Shot Um olhar sobre o passado das Estrelas
Smash Cut Citações
Snorricam Extras
Widescreen Cenas Icónicas

. Blog Oficial


Membro do Círculo de Críticos Online Portugueses

. Blog Oficial




Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D