Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Mais sobre mim

foto do autor



Calendário

Janeiro 2009

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

free hit counters


Action Props Jogos
Awards Season Época de Prémios
Deep Focus Artigos
Flashback Regresso ao Passado
Flashforward Notícias e Projectos
Freeze Frame Shot Imagens
Master Shot Listas e Tops
Mise en Scène Trailers e Posters
New Shots Estreias
Outtake Fora da Sétima Arte
Point-of-View Shot Críticas
Pull Back Shot Um olhar sobre o passado das Estrelas
Smash Cut Citações
Snorricam Extras
Widescreen Cenas Icónicas

. Blog Oficial


Membro do Círculo de Críticos Online Portugueses

. Blog Oficial




Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D


 

"My name is Benjamin Button, and I was born under unusual circumstances. While, everyone else was agin', I was gettin' younger... all alone" 

 

F. Scott Fitzgerald publicou em 1921 uma pequena e curiosa história sobre um homem chamado Benjamin Button. Quase 90 anos depois, o conto inspirou os grandes mestres David Fincher (realizador) e Eric Roth (argumentista) para um dos mais fascinantes objectos de cinema que tenho visto.


Benjamin Button nasce em New Orleans em 1918, mesmo no final de Primeira Guerra Mundial. O seu caso já seria de si peculiar, não tivesse, à nascença, o aspecto de uma pessoa de idade já muito avançada. Mas o que realmente torna este um caso estranhíssimo é que, além disso, Benjamin prossegue na vida ao contrário, ou seja, a sua figura física vai ficando mais jovem com o passar dos anos.

 

Desde o nascimento até ao séc. XXI acompanhamos a sua vida curiosa, que, apesar de diferente, é pautada pelos mesmos sentimentos da de qualquer um de nós: alegria, tristeza, amor e a noção da passagem e do significado do tempo.
 

 

Muitas e demasiadas vezes damos por nós a assistir àquilo que gosto de chamar "meios filmes", ou "pedaços de filme": espectaculares festivais técnicos que infelizmente a narrativa não acompanha qualitativamente, ou belas histórias ingloriamente manchadas por irritantes falhas técnicas. The Curious Case of Benjamin Button é um daqueles filmes raros onde um domínio perfeito da técnica se funde num só com uma história fascinante contada pelas palavras mais requintadas.

 

Em termos técnicos, é um absoluto triunfo em todas as frentes. Os efeitos digitais são soberbos e, por o serem, são praticamente imperceptíveis a olho nu. A técnica é dispendiosa e complicada por várias vezes.

 

Se recordarmos filmes como Lord of the Rings, Star Wars ou mesmo Minority Report, pensaremos neles como grandes expoentes da técnica digital e virtual. David Fincher e o seu "Curioso Caso" passam indubitavelmente a integrar o lote; as técnicas (que se fundem com uma Maquilhagem irrepreensível e em tudo soberba) são tão perfeitas que, apesar de as sabermos lá pela sua impossibilidade física, são indistinguíveis ao mais atento espectador. Sem falhas, brilhante!

 

Outro grande “trunfo secundário” é o grau de fidelidade que se manteve ao longo das várias épocas da história da própria sociedade e do mundo à medida que Benjamin prossegue na vida. Especial atenção para os rebeldes anos 20, a Grande Depressão, a Segunda Guerra Mundial e a Guerra Fria. Aqui uma vez mais os efeitos especiais subtis criam uma visão que não nos distrai da história, antes tornando-a muito mais viva e encantadora.

 

 

 

Brad Pitt chega-nos com uma interpretação que provavelmente lhe virá a valer uma nomeação ao Óscar. Reconheço-lhe esse mérito, mas não iria tão longe a oferecer-lhe o galardão. A performance é sem dúvida boa, com algumas alturas melhores que outras mas numa perspectiva global, bastante regular. Porque não o Óscar? Justamente porque, bom e regular não chega. Apesar de Benjamin Button ser uma das personagens mais fascinantes dos últimos anos...faltou algo para o tornar realmente Grandioso.

 

Cate Blanchett é uma das ou mesmo A melhor actriz da actualidade. Por mais curta que seja a sua presença, emana uma potência que é raramente vista em Cinema, uma luz própria que só as verdadeiras estrelas conseguem emitir. O restante elenco nunca compromete, grandes performances, tanto por quem companha Benjamin ao longo de toda a sua vida, como por quem tem uma passagem rápida.

 

Quanto à narrativa e enredo, é verdade que por vezes se desenvolve com divagações. No entanto, não podemos dizer que são desnecessárias já que contribuem para a brilhante construção biográfica desta maravilhosa personagem que é Button. As quase 3 horas de duração poderão ser pouco apelativas, mas quem disse que o cinema tem de ser uma experiência breve? Quem estiver realmente disposto a deixar-se absorver pela magia, nunca perderá o interesse ao viajar pelas desventuras do nosso protagonista; quem não estiver, verá aqui um bom filme mas que por mais que goste, não conseguirá ver de novo.

 

 

Parece que tudo neste filme é...curioso. Paradoxalmente, o facto de Benjamin viver ao contrário dá-nos uma diferente perspectiva sobre o caminho que percorremos ao longo da vida. Este espelho chega a dar uma melhor compreensão acerca da natureza humana. Um filme que se centra muito no processo físico da decadência, na perda e na morte, mas ainda  nas oportunidades, felicidade e direito à diferença.

 

O Cinema tem o dom de falar todas aslínguas e tocar toda a gente de forma diferente. Muitos de vocês serão arrebatados por Benjamin Button, alguns nem tanto. Claramente, eu faço parte do primeiro grupo. Porque este não é um filme apenas sobre a vida de um homem que vive ao contrário; porque este não é apenas um filme que versa sobre as dificuldades da vida; porque este não é, no fundo, "apenas" um filme.

 

A vida é um rio que flui. Não importa se caminhamos para a frente ou para trás, já que irá desaguar no mesmo mar negro do final do nosso tempo. O que importa é viver, em todas as circunstâncias, boas ou más, sozinhos ou acompanhados, o melhor que soubermos.

 

 

"What I think is, it's never too late... or, in my case, too early, to be whoever you want to be... We can make the best or worst of it... I hope you make the best... I hope you see things that startle you. Feel things you never felt before. I hope you meet people who have a different point of view. I hope you challenge yourself. I hope you stumble, and pick yourself up. I hope you live the life you wanted to... and if you haven't, I hope you start all over again."

 

 

9/10

 

*** *** ***

Para os interessados, foi publicado aqui no Close-Up um pequeno artigo sobre a forma como funcionaram alguns dos efeitos especiais em The Curious Case of Benjamin Button. Para darem uma vista de olhos vão até A Curiosa Criação de Benjamin Button

Autoria e outros dados (tags, etc)


6 comentários

Sem imagem de perfil

De Filipe Machado a 10.01.2009 às 18:21

Bom dia,

Envio esta mensagem com o intuito de dar a conhecer o meu recém-criado blog sobre cinema (http://www.additionalcamera@blogspot.com). Sou um amador por estas andanças, mas se lhe interessar o conteúdo do meu sítio, gostaria de receber o seu apoio para divulgá-lo, nomeadamente através da colocação de um link no blog que administra. Colocarei também o seu endereço na minha rubrica “Additional Cameras”.

O meu muito obrigado pela sua atenção!

Sem outro assunto de momento, desejo-lhe as maiores felicidades para o futuro!

Filipe Machado


P.S. – Participe na sondagem "Melhor James Bond com Sean Connery" até ao dia 31 de Janeiro 2009, em http://additionalcamera@blogspot.com.
Sem imagem de perfil

De Fernando Ribeiro a 11.01.2009 às 00:04

Olá Catarina :)

Como já te disse esta foi uma semana muito complicada para mim, por isso, pouco tempo tive para visitar o teu ilustre blog.

Mas eu cá estou de volta e logo com uma crítica de um dos filmes que mais anseio ver este ano. Contudo, não quis estar a ler porque isso é trabalho para depois de eu ver o filme. :p Dei uma espreitadela à tua nota e já pude perceber que adoraste o filme.

Um grande beijinho
Sem imagem de perfil

De Filipe Coutinho a 11.01.2009 às 19:52

Txiii. Gostava de ter a sorte de ter visto o filme tão cedo também :p

Parece que vou ter que esperar por dia 19... :(

Bj
Sem imagem de perfil

De Dan a 12.01.2009 às 23:25

Tal como o Fernando, só dei uma espreitadelazita à nota e a algumas partes da crítica ehehe :)

É o que faz ver os filmes antes dos outros companheiros :p estraga o efeito surpresa e deixa-nos cheios de inveja por ter que ainda esperar para ver ehehe ;)

Quando tiver visto o filme, volto aqui ;)
Imagem de perfil

De l00ker a 16.01.2009 às 11:39

Parabens pelo comentário, faz justiça ao filme que é uma viagem inesquecível e é daqueles filmes que nos faz perceber o quanto gostamos de cinema. Fabuloso!
Imagem de perfil

De thesubsidal a 19.01.2009 às 00:27

Excelente crítica! Não te engasgaste nada :)

O ano ainda agora começou e este será concerteza um dos melhores!

Comentar post




Mais sobre mim

foto do autor



Calendário

Janeiro 2009

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

free hit counters


Action Props Jogos
Awards Season Época de Prémios
Deep Focus Artigos
Flashback Regresso ao Passado
Flashforward Notícias e Projectos
Freeze Frame Shot Imagens
Master Shot Listas e Tops
Mise en Scène Trailers e Posters
New Shots Estreias
Outtake Fora da Sétima Arte
Point-of-View Shot Críticas
Pull Back Shot Um olhar sobre o passado das Estrelas
Smash Cut Citações
Snorricam Extras
Widescreen Cenas Icónicas

. Blog Oficial


Membro do Círculo de Críticos Online Portugueses

. Blog Oficial




Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D