Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Mais sobre mim

foto do autor



Calendário

Outubro 2012

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031

free hit counters


Action Props Jogos
Awards Season Época de Prémios
Deep Focus Artigos
Flashback Regresso ao Passado
Flashforward Notícias e Projectos
Freeze Frame Shot Imagens
Master Shot Listas e Tops
Mise en Scène Trailers e Posters
New Shots Estreias
Outtake Fora da Sétima Arte
Point-of-View Shot Críticas
Pull Back Shot Um olhar sobre o passado das Estrelas
Smash Cut Citações
Snorricam Extras
Widescreen Cenas Icónicas

. Blog Oficial


Membro do Círculo de Críticos Online Portugueses

. Blog Oficial




Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D


Point-of-View Shot - Frankenweenie (2012)

por Catarina d´Oliveira, em 19.10.12

 

"Your dog is aliiive!!!"

 

Em 1984, um jovem realizador da Walt Disney fez uma curta-metragem live-action que contava a história de um rapazinho recriando a história de Frankenstein ao ressuscitar o seu adorado cão. Dizer que a Disney ficou horrorizada com o produto final é pouco, e o estúdio despediu o cineasta argumentando que gastava demasiado dinheiro a produzir filmes que eram claramente inadequados para crianças.

 

O filme em questão era Frankenweenie, e o jovem realizador de 26 anos chamava-se Tim Burton.

 

 

Quase trinta anos depois, pazes feitas e as partes voltam a reunir-se para recontar a história dos inseparáveis Victor e Sparky, desta vez no formato de longa-metragem.

 

Eles confortam-se, divertem-se, completam-se. Juntos são a epítome do que a amizade deve ser. No entanto, um dia, Sparky sofre um acidente fatal. Victor fica temporariamente desamparado, mas a perseverança e crença de que fará tudo pelo amigo são mais fortes, e o rapaz recorre aos maiores poderes da ciência para trazer Sparky de volta em toda a sua natureza amorosa, mesmo estando tecnicamente morto… e com partes do corpo que se descosem sistematicamente... um híbrido amigo do ambiente a funcionar à base de energias renováveis, digamos assim. Mas quando Sparky volta a sair à rua, a cidade entra em polvorosa, com várias crianças a tentarem desenterrar também os seus animais de estimação (pelos motivos mais escabrosos), o que poderá trazer consequências monstruosas para todos.

 

Como os objetos de propriedades magnéticas são atraídos pelo íman, Tim Burton é-o pela eterna história do indivíduo desajustado que lida com um mundo que não o compreende.

 

 

Frankenweenie, uma declarada homenagem aos filmes de terror e ficção científica dos anos 30 aos 50, reuniu toda a atenção (e paixão) do realizador depois de uma procissão de remakes impessoais e pouco inspirados – Planet of the Apes (2001), Charlie and the Chocolate Factory (2005), Alice in Wonderland (2010) e Dark Shadows (2012). É verdade que, em rigor, também é um remake, mas é um projeto com o coração no sítio certo, o que, note-se, faz uma diferença abismal.

 

Burton disse em inúmeras ocasiões que Frankenweenie era um dos seus filmes mais pessoais – Sparky foi inspirado num cão que teve na infância, e não é difícil imaginr o realizador nos recantos deslocados da estranheza de Victor Frankenstein –, e este traz inocência e mocidade a um tema geralmente associado a comportamentos dementes e maníacos, fazendo-se sentir ao mesmo tempo fresco e familiar. ‘Frankenweenie’ está vivo, e da melhor forma possível, sendo que, de alguma forma, podemos dizer que é para Tim Burton o que Hugo (2011) foi para Scorsese.

 

 

Num outro plano, tinha passado bem sem a referência algo pejorativa do personagem de origem asiática, e seria ainda mais afetante se lhe aprouvesse dizer algo mais sobre a perda e como lidar com ela. O facto de nunca se aventurar no comentário social parece também uma oportunidade perdida, uma vez que já o vimos acontecer em películas anteriores do realizador. Um discurso algo desconexo por parte de um professor sobre os “velhos do Restelo” que se mantém ignorantes e amedrontados relativamente à ciência e tecnologia e o seu papel nos moldes do futuro é insuficiente e pouco sólido. Mas é quase inútil ser picuinhas e apontar-lhe o dedo quando, na verdade, as crianças nem vão reparar e os adultos não vão querer saber.

 

Filmado num riquíssimo preto-e-branco (que até faz o 3-D parecer menos irritante e intrusivo), ostenta um design de produção meticuloso e admirável. O detalhe delicado de cada personagem é avassalador. As crianças, que reúnem uma maravilhosa mistura de desajustados, são reinvenções em ponto pequeno das personagens do terror clássico, com detalhes acrescentados que servem o amor do realizador pelo género que o viu crescer. Em teoria, o próprio processo de animação por stop-motion parece perfeito para o enredo em questão uma vez que, simplisticamente, consiste em fotografar bonecos frame-a-frame para criar a ilusão de movimento, “trazendo-os à vida”.

 

 

A banda-sonora vivaça de Danny Elfman convém na perfeição a relação entre Victor e Sparky, sendo polvilhada de apontamentos dramáticos deliciosos e ajudando a manter o ritmo acelerado. O elenco de vozes é sublime, com especial nota para as participações dos pequenos Charlie Tahan e Atticus Shaffer, e dos graúdos Winona Ryder, Martin Landau, Catherine O’Hara e Martin Short.

 

Uma palavra dirigida aos pais é incontornável: apesar de se envergar um rating para “maiores de seis anos”, talvez fosse mais indicado um “maiores de oito anos”, pela componente temática em si e pela presença de personagens com apetência de povoar alguns infundados mas inteiramente compreensíveis pesadelos dos petizes.

 

 

Frankenweenie exibe em todo o esplendor aquela que será, por ventura, a maior habilidade de Burton enquanto contador de histórias: a capacidade de misturar a estranheza do macabro com o aconchego dos sentimentos sinceros naquela que é, nuclearmente, uma bonita história de amizade. A nível pessoal, fez-me recordar porque é que admiro tanto o realizador, e a Burton possibilitou a redescoberta da peculiar voz (que andava meio perdida) e que o tornou um ícone dos nossos tempos.

 

 

8.0/10

Autoria e outros dados (tags, etc)




Mais sobre mim

foto do autor



Calendário

Outubro 2012

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031

free hit counters


Action Props Jogos
Awards Season Época de Prémios
Deep Focus Artigos
Flashback Regresso ao Passado
Flashforward Notícias e Projectos
Freeze Frame Shot Imagens
Master Shot Listas e Tops
Mise en Scène Trailers e Posters
New Shots Estreias
Outtake Fora da Sétima Arte
Point-of-View Shot Críticas
Pull Back Shot Um olhar sobre o passado das Estrelas
Smash Cut Citações
Snorricam Extras
Widescreen Cenas Icónicas

. Blog Oficial


Membro do Círculo de Críticos Online Portugueses

. Blog Oficial




Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D