Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Mais sobre mim

foto do autor



Calendário

Março 2009

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031

free hit counters


Action Props Jogos
Awards Season Época de Prémios
Deep Focus Artigos
Flashback Regresso ao Passado
Flashforward Notícias e Projectos
Freeze Frame Shot Imagens
Master Shot Listas e Tops
Mise en Scène Trailers e Posters
New Shots Estreias
Outtake Fora da Sétima Arte
Point-of-View Shot Críticas
Pull Back Shot Um olhar sobre o passado das Estrelas
Smash Cut Citações
Snorricam Extras
Widescreen Cenas Icónicas

. Blog Oficial


Membro do Círculo de Críticos Online Portugueses

. Blog Oficial




Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D


Point-of-View Shot - Kramer vs Kramer (1979)

por Catarina d´Oliveira, em 23.03.09

 

"How much courage does it take to walk out on your kid?"

 

Os finais do séc XIX e inícios do séc XX marcam o início de um novo mundo para a Mulher.
Sem dúvida não é nesta altura que se inicia a luta do outro lado da moeda humana mas é inequivocamente aqui que a batalha toma proporções massivas e incómodas para os seus adversários.

 

A primeira vaga da revolução feminista estendeu-se desde o início dos anos 60 até aos anos 70, batalhando obstáculos legais à igualdade (direito de voto, direito de propriedade, etc). A segunda vaga teve lugar após gloriosas vitórias da primeira e teve como objectivo continuar a pavimentar o caminho da mulher para um papel equivalente ao Homem na sociedade. Falamos de direitos respeitantes ao trabalho, à família, à sexualidade, ao divórcio e muitos outros.

 

É neste contexto de mudança que se enquadra o filme sobre o qual hoje aqui escrevo – Kramer vs Kramer.
 

 

Ted Kramer é um autêntico workaholic que, a certa altura da sua vida, começou a por o trabalho á frente da vida pessoal. Um dia a conduta traz frutos; frutos bons e frutos francamente maus. Promovido a um cargo importantíssimo depois de garantir um cliente excepcional, Ted chega a casa mesmo a tempo de ver a mulher Joanna a preparar-se para o abandonar, deixando o filho de ambos (Billy) nas mãos obviamente pouco capazes do pai.

 

Entre tentativas, erros e vitórias, Ted aprende a criar Billy e, acima de tudo, apaixona-se por ele. Inverte-se o jogo e Ted desleixa no trabalho o que empenha arduamente em casa. A promoção desaparece, e o desemprego bate à porta. Mas infelizmente esta não é a única má notícia... Joanna está de volta e com uma bomba: a intenção da custódia de Billy.

Segue-se uma batalha dentro e fora de tribunal mais violenta e cruel que qualquer épico bélico e p destino do jovem Billy jaz como um pendulo, ora para um lado, ora para outro, balouçando entre a batalha de duras palavras que Ted e Joanna travam com o coração.

 

A realidade de Kramer vs Kramer é o produto de uma sociedade crescentemente centrada no “Eu” e não no “Nós” onde o papel de pai e mãe e marido e mulher se alteram drásticamente. É por isso que devemos ter presente o backgroud social da altura que neste como em outros casos, toma um relevo especialmente importante no enredo. Na primeira fila assistimos à evolução de Ted de pai ausente a pai dedicado que aprende a amar a família e a com isso conjugar a situação de trabalho.

 

Robert Benton escreveu o argumento com o romance de de Avery Corman (com o mesmo nome) em mente. Kramer vs Kramer é uma peça complexa e ao mesmo tempo simples, sem retalhos complicados ou luxuosos. É um autêntico deleite interpretativo, um desfilar de personagens que sem serem espanpanantes, são aquilo pelo que mais procuramos num filme: um espelho da nossa real verdade.

 

Este é um filme de personagens e, consequentemente, um filme de interpretações.
É difícil um papel fazer-se notar se não tiver uma particularidade muito forte ou lidar com temas sensíveis: a deficiência,a homossexualidade, a toxicodependência, a loucura, por aí fora. Dustin Hoffman mostra em Kramer vs Kramer que não é preciso um personagem com especial potencial para fazer magia . Ted Kramer é um homem como qualquer outro, e Hoffman criou-o simples e honestamente, tornando-o uma pessoa tão verdadeira como poderíamos imaginar. Algumas cenas são dolorosas de tanto nos identificarmos com elas...de momento recordo o momento de pânico quando Billy se fere no parque e Ted o leva em braços e em desespero até ao hospital... Isto é amor pelo cinema e pela arte de representar. Tornar algo simples em algo memorável.

 

Apesar de  ausente duante quase uma hora, Meryl Streep dava já grandes sinais do grande mural de talento e sucesso que contruiria ao longo de anos. A Joanna que vemos não é uma mulher odiável mas uma alma perdida que parte tentando encontrar-se e que dá por si ainda mais perdida longe daquele que mais ama, o filho.
 

 

Mas como só tive a oportunidade de assistir a esta fita muito recentemente, não foi realmente uma surpresa ver um fogo de artifício de interpretações de Hoffman e Streep... afinal, hoje são dois mestres absolutos, e eu já o sabia bem. A minha grande surpresa surgiu num pequeno rapaz que, infelizmente, acabou por ter uma carreira curta nas lides do cinema. Falo de Justin Henry, o adorável Billy; o filho no meio da tempestade. Fiquei completamente atordoada com o talento de uma criança daquela idade... não admira que tenha sido nomeado para Oscar! As birras, as tristezas, as perguntas difíceis... está tudo lá e sempre tão espectacularmente natural  que nos perguntamos vezes e vezes sem conta se o que ele faz é representar ou ser ele mesmo...uma criança de 8 anos. Estupendo! E a química com Dustin Hoffman é fantástica. Tanto que a dupla chegou mesmo a improvisar muitas cenas... o melhor exemplo é a memorável cena do gelado! Sublime...
 
Inteligente, triste, engraçado, trágico (sem ser demasiado dramático), verdadeiro e honesto, Kramer vs Kramer é esplendorosamente virtuoso em vários aspectos, mas o facto de não escolher lados, não propiciar uma visão extremamente boa de um lado e má do outro é o seu maior trunfo.
 
É verdade que, a certa altura, tendemos a desgostar da mãe e a simpatizar com o pai; mas quando olhamos para o quadro completo, as coisas não são assim tão lineares. Afinal, Joanna fora obrigada a viver anos a fio com um homem invisível, um homem que no primeiro dia ao lado do filho mostra toda a sua ignorância quando lhe pergunta “Em que ano andas?”. Kramer não pretende colocar rótulos ou apontar dedos, apenas mostrar silenciosamente um espelho para que possamos ver reflectida a história de uma família como tantas outras...

 

"I came here to take my son home. And I realized he already is home."

 

9/10

Autoria e outros dados (tags, etc)


4 comentários

Imagem de perfil

De l00ker a 24.03.2009 às 09:40

excelente filme ;) mais uma boa escolha
Sem imagem de perfil

De Filipe Coutinho a 24.03.2009 às 14:49

Pois, este ainda não vi mas como fã incondicional do Hoffman estou a falhar sinceramente...

Só li bocados que é para não saber muito sobre o filme. Mas quando o vir venho aqui dizer qualquer coisa :p

Bjs
Sem imagem de perfil

De Amanda a 18.10.2012 às 02:22

Adorei o filme e sua análise a respeito. Citei-a no blog que escrevo (cineeoutrostemas.blogspot.com), espero que não se importe!

Sou uma brasileira cinéfila e quando assisto a um filme mais marcante fico com vontade de escrever a respeito. Gostaria de saber dissecar e retratar uma obra tão bem como você! Parabéns!
Imagem de perfil

De Catarina d´Oliveira a 18.10.2012 às 11:26

Olá Amanda,

antes de mais, bem-vinda ao Close-Up, creio que ainda não a tinha visto por cá :)

Quanto ao Kramer, é um grande filme das coisas da vida - aquele "tipo" que mais aprecio, sem qualquer duvida. Relativamente à citação, não tenha qualquer problema! É, aliás, uma honra que o faça.

Escrever sobre filmes é, para mim, uma paixão, e apesar de, olhando agora para este texto, me dar vontade de mudar muita coisa, não o faço porque penso que também a escrita e o desenvolvimento de ideias é um processo de crescimento e aprendizagem contínuos.

Vou andar de olho no seu blog :) muito obrigada

Comentar post




Mais sobre mim

foto do autor



Calendário

Março 2009

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031

free hit counters


Action Props Jogos
Awards Season Época de Prémios
Deep Focus Artigos
Flashback Regresso ao Passado
Flashforward Notícias e Projectos
Freeze Frame Shot Imagens
Master Shot Listas e Tops
Mise en Scène Trailers e Posters
New Shots Estreias
Outtake Fora da Sétima Arte
Point-of-View Shot Críticas
Pull Back Shot Um olhar sobre o passado das Estrelas
Smash Cut Citações
Snorricam Extras
Widescreen Cenas Icónicas

. Blog Oficial


Membro do Círculo de Críticos Online Portugueses

. Blog Oficial




Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D